FACA DE DOIS GUMES

Numa viagem de navio um cara bacana estava acompanhado da esposa. Durante as noites de balada dava um remedinho para a desavisada e ia curtir a noite com outras mulheres. Filminho de quinta, já visto por milhões. A pimenta da trama?? O tal casal estava em lua de mel…sim, aquele período de amor e sexo animal (ou não) durante uma viagem inesquecível que segue o tão antigo enlace matrimonial, onde trocentos convidados ouviram os votos de amor eterno e fidelidade…se ela não souber de nada, melhor pra ela…mas o que dizer de tal homem? Homem?

Uma moça linda, inteligente e interessante se apaixonou perdidamente…e pelos códigos, pelas frases, pelos sussurros, pelos olhares, acreditou que era correspondida na mesma força e intensidade. Eis que a moça em questão, por um descuido dela ou por uma sacanagem do plano superior, ficou gravidíssima do tão apaixonado companheiro…só que a coisa deu meio que errada e ela teve ser internada em uma maternidade (com muitos bebezinhos nascendo pra ajudar o psicológico da coitada) para “interromper” o curso natural da vida num sábado de manhã…o moço da história, que não foi um bom moço, não ficou ao lado dela naquele final de semana, como deveria, como era de se esperar…foi praticar windsurf…acompanhado de outra mulher…o que dizer de tal homem? Homem?

Outra moça estava namorando um cara bacana (que eu apresentei…) e também ficou gravidíssima…o sujeito levou a desavisada nº 2 até São Paulo para um passeio, parou em frente a uma clínica clandestina e disse: “vai, resolve essa merda”…como a negativa da moça foi fervorosa, o sujeito a deixou na rua, sozinha, num final de tarde da cidade de São Paulo…ela está bem e a filha dela é uma princesa…mas o que dizer de um homem desses? Homem?

Um casal jovem, bacana, bem relacionado, cheio de “amigos” viajava todo final de semana para a praia mais badalada da estação. Como eram os únicos casados literalmente, sempre ficavam com a melhor suíte da casa pé na areia. A esposa não era muito adepta das noitadas e acabava indo dormir cedo para aproveitar o solzinho, pegar uma cor, andar pela praia, gastar dinheiro nas lojinhas…o que o marido fazia? comia outra nega no quarto ao lado…se ela não tivesse sabido disso, teria poupado algumas lágrimas e alguns tapas na cara do fulano…mas o que dizer de um homem desses? Homem? e o que dizer de uma mulher dessas (que se dava mega bem com a esposa)? Mulher?

“Eu te amo muito. Meus planos são ficar com você, casar com você e ter filhos com você. Nunca estive tão apaixonado por você como estou agora”…Essa mensagem foi mandada por um homem para a sua namorada de final de semana. O namoro dura uns 3 anos acho. Muito romântico, muito lindo, muito tudo…não fosse o fato de o moço ter uma pseudo namorada de segunda a sexta a quase 1 ano, por quem ele diz ser apaixonado e que tem total conhecimento da namorada de final de semana…o que dizer de um homem desses? Homem? O que dizer de uma pseudo namorada dessas? Trouxa?

Trair é cultural. Nem sou assim uma feminista enlouquecida, quem me conhece sabe que sou, inclusive, meio machista as vezes. O que eu estou querendo descobrir é essa falha moral das histórias que eu contei (todas verdadeiras). O fato de trair a parceira, a namorada, a esposa é o menor dos problemas…o desvio de caráter, a canalhice, a falta de educação moral, o desrespeito, o nome jogado na lama…isso é que é foda de entender…a deslealdade. Porque eu acredito muito mais na lealdade, já disse isso aqui. Ninguém está livre de desejar outro ser, de ser infiel em algum momento, ninguém. O que vai contar é se você vai trair sem expor, sem machucar, escondidinho, uma coisa só sua…certa ou errada é uma coisa só sua e da sua consciência. Não estou defendendo a traição. é foda ser traído, é foda trair (quando você não tem falha de caráter, lógico), não é uma coisa bacana, do bem…mas rola, e rola muito.

Conheço mulheres traidoras também…mas as histórias não eram tão canalhas!!! Eram basiquinhas, uns beijinhos no barman, uns amassos no amigo do primo, essas coisas…não que eu ache que beijo seja diferente de sexo, mas não tinha pimenta nas histórias de traição feminina mesmo…

Hoje um rapaz respondeu à seguinte pergunta: POR QUE OS HOMENS TRAEM? Ué, falta de amor ou de caráter…achei honesto…

PsyDica Única: Se for fazer faça bem feito e durma no travesseiro mais fofo do mundo, a sua consciência.

8 Respostas to “FACA DE DOIS GUMES”

  1. Eu considero falta de amor E caráter, amor a si mesmo, amor ao ser humano. Ninguém deve ser enganado nem enganar a si mesmo. Se existe a necessidade das “aventuras” é indício que ainda não amadureceu por completo para a vida.
    Infelizmente cada um comvive com sua consciência e com seu “código” de moral e portanto se uns pegas são só uns pegas e isso não quer dizer nada o ser segue com a vida em paz.
    Eu não aprovo e não quero isso para minha vida.

    • Ah querido Angelo! A maioria das pessoas não quer isso pra vida!! Mas o que a gente tem visto por aí é exatamente o contrário. Se vc é fiel, leal, vc é anormal…o sexo casual está supervalorizado…e fácil, vc sabe…é mesmo como travar uma batalha diária tentar manter a vida a dois na paz, mas não é impossível. Se a sua educação for baseada nos princípios do amor e das coisas boas e certas, não tem como errar…

  2. Tem muita mulher que merece. Depois que casam, não honram o compromisso, não honram, não cuidam, não satisfazem, não se proecupam e muitos “nãos” a mais com seu marido. Mudam completamente, de princesa viram bruxas desconhecidas, fazem coisas que voce nunca imaginaria que fossem fazer. Provacam ciúmes, procuram brigas, pelo em ovo em tudo.
    Só pensam em si próprias, na carreira, só exigem, enchem o saco, ficam do lado da mãe, do pai, do irmão, do vizinho do cachorro, menos do marido.
    Só reclamam e querem mandar, vira chefe ao invés de esposa.
    Ai o marido encontra uma que o trate totalmente o oposto, o cara não é de ferro, e ai???
    Depois ficam reclamando, entrando na justiça, querendo guarda do filho etc…
    F…todas essas.

    • O merecer pode ser levado em consideração sim. Eu mesma acredito que se procura fora o que não se tem em casa. Mas o que está implícito é o que me incomoda, a maldade do ato em si, a falta de respeito, a falta de consciência, a falta de amor. Quem ama não trai, quem ama não quer outra vida…

  3. Carol Brumati Says:

    O que eu acho? Que não existe essa de “sexo casual”, todo mundo quer alguma coisa, nem que essa “coisa” seja sim uma foda fixa. O que realmente acontece é que tudo sempre começa na farra, sempre dizemos “ah, eu aguento, vou aproveitar e depois sair ilesa”. Ledo engano. Geralmente, um quer só a foda fixa, e o outro acaba sempre querendo mais, e se ferrando. Quem brinca com fogo, invariavelmente acaba queimado. A gente tem que se cuidar, pq só a gente sabe da gente. Não dá pra esperar do outro algo que não fazemos por nós mesmos. Por isso é que trair, na minha opinião, não é só cultural. É opção. Tem gente que banca, tem gente que finge que banca e tem gente que não banca (me incluo nessa última categoria). Não concordo quando você diz que o ato em si é cultural e que o ruim é a “falta de respeito, a falta de consciência”. Como é trair “com respeito e consciência”? Não sei… Acho que uma coisa exclui a outra totalmente. E de fato, quem trai, realmente não ama, inclusive a si próprio. Acho traição o supra-sumo da falta de amor próprio e de respeito com o próximo.

    • Não não Carol. Não defendo a traição em nenhum momento. Quando digo que é cultural é porque sempre foi de se esperar que o homem traia, não é surpresa vc contar uma história de traição masculina, e ultimamente nem feminina. A traição é do mal, como eu disse, mas tem como deixá-la pior, e aí entram a falta de respeito e consciência, porque se vc, um dia, num momento de fraqueza, desejo ou o caralho que for deu uma escapulida e seu parceiro nem sonha com o fato, pronto, vc teve respeito o sufuciente para não fazâ-lo passar por corno, e a única pessoa fodida na história foi vc mesma…entendeu? diferente dessas historias que contei…não tem desculpa, não tem perdão, mas tem como ser “menos pior”. Foi isso que eu quis dizer.

  4. Inversão de valores. Para mim esse o ponto que resume toda essa putaria (não achei outra palavra para tanto lixo).
    Agora tem uma outra coisa: onde estava a família desses sujeitos? onde estavam as mães e os pais deles? Será que elas não souberam educar os doces filhinhos e os mesmos acham bacana e se acham espertos dando “balão” na namorada, na esposa? Homem que é Homem (com H maiúsculo) tem mãe, quando o Homem tem mãe ele tem carácter. Quando tem uma parideira, esquece, ele não aprendeu os valores essenciais a um bom ser humano: honestidade, fidelidade, PALAVRA. Tudo o que possuímos é a nossa palavra, se ela não vale nada, nós também não valemos. Por isso sou contra casamentos mega, cheios de gente, pura hipocrisia. Juram para o vácuo, para o vento, não vem de dentro, vai só pra foto. Lembrando que existe gente honesta e de palavra por aí mas é muito difícil encontar. E concordo quando vc diz que é uma questão cultural Paulinha. E minhas observações servem para algumas mocinhas também, afinal de contas só existe um cara safado se existir uma mulher safada, sem postura, sem carácter, sem mãe (e sem pai).

  5. Já vi tanta coisa nessa vida de Ai Meu Deus…que a única coisa que aprendi é realmente não julgar… cada situação é única!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: